Devo contratar um Assistente Virtual?

Devo contratar um Assistente Virtual?

Se houve coisa positiva que esta pandemia nos trouxe – e há que olhar sempre para o lado bom da vida! – foi o facto de termos percebido que o Mundo é mesmo uma pequena aldeia global a partir do momento em que temos uma boa ligação à internet e um computador fiável.

Se hoje em dia já há aulas, consultas e até orientação de cirurgias online, porque é que achamos que trabalhos, sejam eles quais forem, têm de ser feitos in loco?

A verdade é que 2020 revolucionou o mercado de trabalho e hoje é cada vez mais natural, mesmo em países com uma mente mais fechada relativamente a estas questões como Portugal, conhecermos pessoas que trabalham remotamente.

E sabes qual é a boa notícia?

É que esta é uma tendência que veio para ficar e os números não nos deixam enganar-te!

A Remote Portugal apresentou há pouco tempo o resultado de um inquérito realizado em Portugal sobre trabalho remoto e não há margem para dúvidas:

  • 85% dos inquiridos revela satisfação com o trabalho remoto (mesmo tendo em conta a situação de trabalho remoto em home office forçado no último ano);
  • 49% gostaria de manter um regime de trabalho misto (presencial e remoto) e 39% gostaria de ter total flexibilidade para escolher o regime pretendido;
  • 65% das pessoas consideraria trocar de trabalho se lhe fossem oferecidas as mesmas condições actuais, mas com a possibilidade de trabalhar remotamente;
  • 39% dos inquiridos consideraria aceitar um emprego 100% remoto, mesmo que isso significasse uma redução do seu rendimento actual.

Ao mesmo tempo que o trabalho remoto se foi vulgarizando na população portuguesa, outro conceito começou a surgir com força: a assistência virtual.

Há uns anos, mal se ouvia falar deste termo.

Assistência virtual? O que é isso?

Quantas vezes não te perguntaram (ou perguntam!) isto?

Mas, seja porque as pessoas tiveram que se reinventar profissionalmente para atravessar esta crise, seja porque os negócios tiveram de se atualizar em tempo recorde, a verdade é que o assistente virtual se tornou uma excelente saída para quem não se quis ficar por lamúrias.

Ao longo do último ano, foram várias as pessoas que compraram cursos e fizeram formações sobre assistência virtual e assim se iniciaram nesta nova área.

Além de ser um tipo de trabalho que não precisa de conhecimento prévio específico (pois podemos trabalhar naquilo que gostamos e em que somos realmente bons), permite ao profissional uma maior flexibilidade (de tempo, de organização e de nicho a trabalhar).

Mais: como na maior parte das vezes funciona em regime de prestação de serviços, o assistente consegue ter vários clientes, fazer crescer o seu negócio ao seu ritmo e (o melhor de tudo) com um investimento de praticamente zero!

O que constatámos (com a nossa experiência e com os casos que temos visto) é que as pessoas estão mais felizes, sentem-se mais realizadas, e fazem um maior investimento em si próprias profissional e pessoalmente.

Com profissionais dedicados e especializados nos mais diversos nichos de mercado, a parceria estabelecida com outros negócios torna-se mais fluída, sem grandes entraves e isso faz com que os nossos clientes se sintam satisfeitos e com mais tempo livre para o que realmente lhes é importante.

Posto isto, se dúvidas houvesse sobre contratar ou não um Assistente Virtual, a nossa opinião é mais que óbvia:

I Believe You Can Do It GIF by Awkward Daytime TV

Devo contratar um Assistente Virtual?

“Não vai ser caro?”

Para esta pergunta, não há uma resposta certa.

Mas vamos antes colocar a questão de outra maneira:

Tens o teu negócio próprio. Digamos, para exemplo, que é uma loja online que vende artigos de festa e onde também ofereces o serviço de organizador de festas, maioritariamente festas infantis. Adoras o que fazes, desde a apresentação de um plano de decoração até à concretização de tudo, passando pela escolha do tema, materiais e cores. Isto faz-te realmente feliz, o negócio corre muito bem e até já tiveste que recusar clientes por falta de tempo. Porque, afinal de contas, és tu quem faz tudo: planeamento, promoção do projecto, gestão das redes sociais, compras, montagens, contabilidade, etc.

Este é o cenário de muitos empreendedores e pequenos negócios.

O mais normal é que haja uma pessoa a tratar de tudo (ou quase), o que faz com que a dada altura o negócio não consiga crescer.

O tempo não estica, assim como a energia de cada um de nós, pelo que há sempre alguma coisa que sai sacrificada: a nossa vida pessoal ou o negócio em si.

Assim sendo, delegar tarefas torna-se urgente.

Claro que será necessário alocar um orçamento para a pessoa que vier, mas será isto mesmo um custo?

Contratar um Assistente Virtual: custo vs investimento

Ao trazermos alguém para a equipa (mesmo que virtualmente e mesmo que seja em modo freelance) é óbvio que vamos ter que lhe pagar esse serviço.

Mas não será esse um passo à frente e a atitude certa para começarmos a avançar?

Delegar tarefas é algo que muitos empreendedores têm dificuldade em fazer (mesmo aqueles que já se sentem assoberbados com todo o trabalho que têm em mãos), mas a verdade é que não conhecemos nenhum que se tenha arrependido de ter feito isso.

S, se os há, é porque provavelmente tiveram uma experiência com alguém que não se encaixou no projecto.

Como encontrar um bom Assistente Virtual

Basta pesquisar com as palavras-chave certas para vermos que já há aulas gratuitas e formações pagas pela internet fora sobre Assistência Virtual – umas com maior qualidade do que outras.

Por isso mesmo, e como não queremos induzir ninguém em erro, preferimos promover o que conhecemos e que temos a certeza ser um excelente sítio para procurar o Assistente Virtual certo para cada negócio.

Assim sendo, o VAmos Club! tem um directório de AVs que nos permite pesquisar as pessoas mais indicadas para as necessidades de um empreendedor ou negócio que nos contacta e pede ajuda.

Através das respostas a algumas questões-chave, conseguimos procurar os assistentes virtuais que melhor se encaixam e que temos 99% de certeza que não vão falhar.

(Sim, somos quase umas verdadeiras fadas-madrinhas!)

reaction s GIF

Em 3-5 dias úteis (no máximo) recebes algumas sugestões de assistentes virtuais que podes contratar e que se podem tornar parceiros para te ajudar a crescer.

Conclusão

Se estás a negar trabalho porque não tens tempo para mais clientes, provavelmente já estás a precisar da ajuda de um assistente virtual.

Por mais que te possa parecer um peso, acredita que um AV pode revolucionar totalmente o teu negócio ao libertar-te de tarefas repetitivas, chatas e que não tens de ser obrigatoriamente tu a fazer.

Pois vais passar a ter mais tempo, sem sombra de dúvida: seja para atender novos clientes, ou para finalmente ter algum espaço para descansar e desfrutar de tudo o que este teu negócio te trouxe.

Deixe uma resposta